segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

53 FOTOS RARAS DO ACRE ANTIGO (Parte II)

Acesse aqui Parte I 


NOS CONFINS DO BRASIL
Grupo fotografado na Foz do Jurupary, Alto Tarauacá, Território do Acre – Da esquerda para a direita, em pé: Francisco de Assis, encarregado do Registro Fiscal Federal; Placido Bonfim, guarda-livros da casa Coutinho, Annibal & Comp.; Alfredo Cordeiro, comerciante ambulante; Dr. Julio Ramos, Juiz Municipal; Antonio Saboia, sócio da firma Coutinho, Annibal & Comp., e atual Juiz de Paz deste termo; Salustiano de Souza, Agente Fiscal do Estado do Amazonas; Antonio Guimarães, delegado auxiliar. Sentados: Sancho Gomes, tabelião publico; Germano Aguiar, empregado da casa Coutinho, Annibal & Comp. e Dr. Antonio Brazil, cirurgião dentista ali residente. Quase todos são cearenses. (O Malho, RJ, 21 de junho de 1913, Ano XII, N.562)


VIDA SOCIAL
Pessoas que tomaram parte no banquete oferecido ao coronel Manoel Vasconcellos, na Empreza, Comarca do Alto Acre, onde ele é juiz de Paz. Ahi vão os nomes: 1. Francisco de Mello Pinto, funcionário judicial; 2. Annibal Santos, comerciante; 3. Salvador Emigdio de Oliveira, oficial do Registro Civil; 4. Alberto Teixeira d’Almeida, tabelião publico da Comarca do Alto Acre; 5. D. Antonia Souza, esposa do n.2;  6. D. Thomazia, mãe do n.2; 7. D. Rosinha Penteado, esposa do Dr. Affonso Penteado; 8. Senhorita Lili Guiomar da Silva; 9. Dr. Affonso Penteado, promotor publico da Comarca; 10. Dr. Sylvio Gentio de Lima, juiz de direito da comarca; 11. Interessante acreano Adriano Silva; 12. Coronel Manoel de Vasconcellos, juiz de paz da Empreza (manifestado); 13 e 14 duas interessantes acreanas, Lucia e Tecilia Rodrigues; 15. Luiz Magalhães, funcionário da justiça da Comarca; 16. Francisco Lucas d’Almeida (coronel e intransigente Alencarista); 17. José Martins da Costa, guarda livros; 18. Salem Miguel Salem, comerciante aviador; 19. Henrique Lima, tenente e auxiliar do commercio no seringal Vista Alegre; 20. Nacib Zaidan, negociante; 21. Dr. João Adolpho Memoria, advogado; 22. Pharmaceutico Mario Menescal; 23. Coronel Francisco C. de Oliveira, o maior proprietário do Acre; 24. Miguel Fecury, negociante chefe da colonnia syria da Empreza; 25. Dr. Vital Moreira Jobim, engenheiro chefe da Prefeitura do Acre; 26. Alvaro Ramos, major e comerciante; 27. Major Affonso Barbosa Gesta, negociante; 28. Dr. Clarindo de Queiroz, medico homeopatha; 29. Arthur A. F. Silva, negociante, consul portuguez no Acre; 30. Manoel Rodrigues Vianna, proprietário; 31. José Cicarelli, negociante, chefe da colônia italiana da Empreza; 32. Francisco Rodrigues Ligeiro, armador de lanchas; 33. Sadala Houtes,negociante e capitalista da Empreza; 34. Coronel João Donato de Oliveira, proprietário do seringal “Amapá”; 35. Alneu Arak, negociante; 36. Actor comico Arthur Souza; 37. Bacharel do 1.º anno, Dr. José Alves Maia; 38. Dr. José Carneiro, distincto medico; 39. Henrique de Lima, negociante da Vista Alegre; 40. Bacharelando do 2.º anno, Dr. Octavio Gerico do Couto; 41. Antonio D. Santos Filho, estudante. (O Malho, RJ, 22 de fevereiro de 1913, ano XII, N.545)


“O MALHO” NO ACRE
Novo barracão da residência do coronel José Soares Pereira, no Xapury, Silveira, Rio Acre. O coronel Pereira é um velho amigo do Malho. (O Malho, RJ, 7 de junho de 1913, Ano XII, N.560)


“O MALHO” NO ACRE
Na terra do ouro negro – Sena Madureira, Acre: os amigos Victor Carneiro, Alexandre Bernardes, Miguel Francisco de Souza, Gualter Sá e Antonio Pinho Camarão, activos e zelosos auxiliares da “Casa Bramaia”, “posando” para ‘O Malho”, em “armistício domingueiro”. (O Malho, RJ, 29 de Julho de 1916, Ano XV, N.724)


DO ACRE
Trecho de um algodoal, no Alto Juruá, pertencente ao Sr. Francisco das Chagas Pinto, que está no centro da fotografia. As outras pessoas são o Sr. Waldemar das Chagas Pinto, o feitor e dos auxiliares do algodoal. O pequeno é o filho do Sr. Francisco das Chagas Pinto. (O Malho, RJ, 31 de maio de 1919, Ano XVIII, N.872)


DO ACRE
“A Moda”, estabelecimento commercial dos Srs. Leonel & Mendes, em Rio Branco, Acre. (O Malho, RJ, 29 de maio de 1920, Ano XIX, N.924)


COMPANHIA REGIONAL DO ALTO JURUÁ, ACRE
Juramento à bandeira por três voluntários, no dia 14 de julho deste anno. (O Malho, RJ, 9 de outubro de 1920, Ano XIX, N.943)


NO ALTO ACRE
Inauguração d’ “A Phenix”, Bar Mercearia, estabelecimento de propriedade do Sr. Benicio Leão, na cida de Brasília (atual Brasiléia), Alto Acre. Encontram-se nesta photographia: N.1 Benicio Leão; 2. João Damasceno Cavalcante, tabelião público; 3. Dr. Antonio Furtado B. de Menezes, promotor publico; 4. Manoel Lucio dos Santos, escrivão do registro civil; 5. Oscar Ferreira Pegado, professor publico; 6. Miguel Cabral, guarda da Agência Aduaneira do Brasil, em Cobija; 7. Coronel Odilon Pratagy Brasiliense, delegado de policia; 8. Dr, Alcebiades Fabiano Alves, cirurgião dentista; 9. Dorasse S. da Nobrega, agente postal; 10. Dr. Diogenes Celso da Nobrega, advogado; 11. Tenente Josué de Brito, commandante do destacamento policial; 12. Coronel João Pinheiro, gerente do seringal Bella Flor; 13. Coronel Carlos Costa Ferreira, vice-consul da Bolivia; 14. José da Rocha Barreto, da Agencia Aduaneira do Brasil em Cobija e agente d” “O Malho”; 15. Docleciano Ferreira, regente da Philarmonica. (O Malho, RJ, 20 de novembro de 1920, Ano XIX, N.949)


No Juruá (Acre) – Grupo de amadores de theatro que em Cruzeiro do Sul representou a revista de costumes “A Reforma”, do Sr. Arthur Souza.
(O Malho, RJ, 25 de março de 1922, Ano XXI, N.1.019)


Fotografia tirada por ocasião da visita do secretário geral do governo do Acre à cidade de Xapury, comarca em pleno desenvolvimento. Fazem parte do grupo, ao lado do Dr. Francisco Conde, que foi recebido com vivas demonstrações de simpatia, o intendente de Xapury, Dr. Luiz de Freitas; o juiz de direito em exercício, Dr. Caio Valladares Filho; o Dr. Amanajós de Araújo, consultor jurídico do governo do Acre, e Dr. João Torres de Mello, promotor publico. (O Malho, RJ, 29 de setembro de 1928, Ano XXVII, N.1.359)
Postar um comentário